Paraíso

A fundação do Bairro do Paraíso remonta ao ano de 1897, mas anos antes a venda das terras pertencentes ao político João Sertório já havia dado ensejo à abertura das suas primeiras ruas, e uma delas foi chamada de Rua do Paraíso.

História do Bairro

A fundação do Bairro do Paraíso remonta ao ano de 1897, mas anos antes a venda das terras pertencentes ao político João Sertório já havia dado ensejo à abertura das suas primeiras ruas, e uma delas foi chamada de Rua do Paraíso.

O Largo da Guanabara, atual Praça Rodrigues de Abreu, e o Largo do Paraíso, atual Praça Oswaldo Cruz, foram nascendo com a função primeira de facilitar a ligação das regiões do Centro ao longínquo Município de Santo Amaro, incorporado por São Paulo em 1935.

Em 1885, imigrantes alemães da Cia. Faust & Schmidt, instalados na Vila Mariana, abriram a Cervejaria Germânia em um grande terreno em frente ao Largo da Guanabara, entre as Ruas Vergueiro e Apeninos. Anos depois, com o advento da Primeira Guerra Mundial, o nome foi alterado para Cervejaria Guanabara e em 1921 ela foi comprada pela Companhia Cervejaria Brahma.

Assim, aos poucos o bairro foi crescendo, no encalço da vizinha Vila Mariana e como caminho para a Avenida Paulista, inaugurada no mês de dezembro de 1891. Logo no início do século XX o bonde começou a circular por ela e já havia belíssimos casarões e palacetes construídos e em construção, símbolo maior do poderio dos barões do café e dos imigrantes europeus.

As ruas mais adensadas do bairro, por volta de 1915, ficavam obviamente próximas à região da Avenida Paulista e da Vila Mariana, em especial a Rua do Paraíso, Rua Tomás Carvalhal, Rua Cubatão e parte da Rua Abílio Soares, que chegava até os campos de terra pouquíssimo habitados, onde hoje temos o Parque do Ibirapuera.

A primeira paróquia do Bairro do Paraíso começou a ser construída em 1915 no Largo da Guanabara, tendo como padroeira Santa Generosa. Nunca integralmente finalizada, conta-se que por desavenças com a Municipalidade, acabou sendo demolida em 1967 em virtude de desapropriação para abertura da Avenida Vinte e Três de Maio e do viaduto que recebeu o nome da padroeira. Uma nova igreja foi construída e inaugurada em 1970 na Avenida Bernardino de Campos, mantendo-se o nome Paróquia de Santa Generosa.

Belíssimas construções erguidas na primeira metade do século XX no trecho da Avenida Paulista pertencente ao bairro merecem destaque, como o Instituto Pasteur, no número 393 da avenida, projetado pelo arquiteto Carlos Milanese; a Escola Estadual Rodrigues Alves, no número 227, com projeto do escritório do arquiteto Francisco de Paula Ramos de Azevedo, tombada pelo Conpresp e pelo Condephaat; e, a Casa das Rosas, no número 37, projetada pelo arquiteto Felisberto Ranzini do escritório Ramos de Azevedo, igualmente tombada pelos dois órgãos de preservação.

Voltando em direção ao antigo Largo da Guanabara, impossível não ver o maior templo em estilo bizantino da América do Sul em plena Rua Vergueiro, número 1515. Trata-se da Catedral Ortodoxa Metropolitana ou Igreja Ortodoxa Antioquina, projetada pelo arquiteto Paulo Taufik Camasmie para a comunidade árabe praticar e difundir sua religião, etnia e idioma.

O notável crescimento da cidade nas décadas seguintes impulsionaram o progresso desse bairro verdadeiramente central, com a inauguração em 1953 da primeira agência bancária, na Praça Oswaldo Cruz, e em 1975 da estação Paraíso do metrô.

O Centro Cultural São Paulo, construído em um terreno de extensos 46.500 metros quadrados e inaugurado em 1982, veio coroar a importância do Bairro do Paraíso no cenário da cidade. O projeto, concebido nos anos 1970 pelos arquitetos Eurico Prado Lopes e Luiz Telles, buscou referências em grandes centros culturais internacionais para sua concretização dentro de ideais de condições de acesso e proximidade com a cultura da população paulistana.

Comprar, alugar ou investir em uma propriedade é uma grande decisão. Saber que Paraíso é o bairro certo para você é tão importante quanto escolher seu imóvel. Por isso, nós da Mudee estamos juntando informações gerais sobre os principais bairros de São Paulo, para te ajudar a tomar uma decisão com melhor conhecimento sobre o bairro de seu interesse.

Confira os principais restaurantes em Paraíso

  • Rubaiyat – carnes
  • Aizomê – cozinha japonesa
  • Tenda do Nilo – cozinha árabe
  • A Chapa – cozinha rápida
  • Barnaldo MPB Gastronomia – bar, música e cozinha brasileira
  • Galise Burguer – hamburgueria
  • Brunella – cafeteria
  • Il Pastaio – cozinha italiana

Para aquele dia quente de verão o açaí do Posto do Açaí, na Rua Vergueiro, é deliciosamente cremoso.

Por que morar em Paraíso?

O ar cosmopolita e ao mesmo tempo acolhedor são, definitivamente, o charme desse bairro privilegiado.

Privilegiado porque reúne as cobiçadas condições de moradia em um só pacote: imensa diversidade de serviços, produtos e rede de entretenimento, desde excelentes escolas, faculdades, hospitais, laboratórios, clínicas, passando por museus, shoppings, parques, centros culturais, até restaurantes de alta gastronomia ou o pequeno e descolado bistrô, tudo em torno de uma farta rede de transporte público e também fácil acesso de carro a outros bairros.

Privacidade e segurança

A mistura ideal de animação e tranquilidade faz do Bairro do Paraíso um lugar para aproveitar as ruas dia e noite e de domingo a domingo.

Um bairro nobre por excelência com um nome autoexplicativo!

Imobiliárias no bairro Paraíso

  • Imobiliária IPREMIER IPREMIER

Mapa da região